terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Restaurantes de São Paulo participam de movimento contra fome e desperdício de alimentos

Projeto “Satisfeito” vai permitir que cliente escolha prato em versão reduzida e doe diferença de custo a organizações que atuam no combate à fome de crianças

Restaurantes da cidade de São Paulo vão integrar um movimento de conscientização contra o desperdício de alimentos. O projeto, que foi apresentado no dia 3 de dezembro no restaurante Kaá, na capital paulista, permite que o cliente escolha refeições em porção reduzida, a versão Satisfeito, um terço menor do tamanho original (quantidade que muitas pessoas acabam deixando no prato). Ao fazer esta opção, o consumidor paga o mesmo preço da porção original e aquilo que o restaurante economizar será destinado a organizações, de atuação nacional ou internacional, que trabalham no combate à fome de crianças. Os restaurantes participantes trarão em seu cardápio um pequeno ícone do projeto ao lado de determinados pratos, indicando as refeições que podem ser servidas na versão Satisfeito.

Confira o vídeo de divulgação do projeto Satisfeito:




O projeto foi idealizado pelo vice-presidente do Instituto Alana, Marcos Nisti, e tem co-autoria de Paulo Kress, do Grupo Egeu. Ele reúne, por um lado, a experiência de uma organização social sem fins lucrativos, auditada pela Price, que desenvolve ações sociais voltadas para a proteção e desenvolvimento da criança, e, por outro, a expertise do grupo Egeu, que administra vários restaurantes no mercado gastronômico, como Girarrosto, Italy, Kaá e General Prime Burger. O projeto entrou em funcionamento no Kaá no mês de novembro, em formato piloto. Durante a cerimônia de lançamento do projeto no Kaá, será apresentada a lista completa dos restaurantes parceiros.

Legenda da Imagem: Chefs e proprietários participantes do Satisfeito: Carlos Bettencourt, Ana Luiza Trajano, Adriana Drigo, Daniela de Lucca, Bel Coelho, Bruno Laporta, Salvatore Loi, Massimo Barletti, João Leme, Jun Sakamoto, Ricardo Trevisan, Daniel Oppenheim, Zito Silveira, Juscelino Pereira, José e Gilson, Paulo Morais, Daniel Fialdini, Silvia Percussi e Dudu Pereira. Abaixo: Paulo Kress e Marcos Nisti (Alana)
Créditos: Diego Guerra

O movimento terá início na cidade de São Paulo, importante pólo gastronômico do País, mas a expectativa dos idealizadores é que a iniciativa ganhe projeção em território nacional e internacional. Segundo o vice-presidente do Instituto Alana, Marcos Nisti, a meta é criar uma rede de “embaixadores”, que divulgue a bandeira do movimento em seu país e cidade de origem e mobilize um número cada vez maior de restaurantes e consumidores. Em 2012, membros do instituto apresentaram o programa no Nexus – Cúpula Global da Juventude, atraindo simpatizantes dos EUA, Austrália e Arábia Saudita.

Satisfeito.com

Uma importante frente de articulação do projeto será o site Satisfeito.com. Por meio deste canal interativo, os consumidores poderão buscar restaurantes parceiros e selecioná-los por localização, tipo de culinária e preço. Além de funcionar como uma espécie de guia para os consumidores, o site também será um lugar de prestação de contas e de divulgação sobre o valor das doações feitas pelos restaurantes e dos repasses realizados para as organizações, de modo que se garanta a transparência do processo. O conteúdo do site poderá ser partilhado em redes sociais, como Twitter e Facebook, e será disponibilizado aplicativo para celular. O Satisfeito.com disponibilizará ainda uma cartilha com orientações para os restaurantes sobre como aderir e implantar o projeto.

O indicador usado para a mensuração dos resultados mensais de cada restaurante será o número de refeições geradas para as crianças, considerando-se o valor de 25 centavos de dólar. De acordo com o World Food Programme (WFP), este é o custo para a WFP prover uma refeição para uma criança em idade escolar com a nutrição que ela precisa para o dia. É uma média calculada a partir de 60 programas de merenda escolar do WFP, com variação de país para país. Filiada à Organização das Nações Unidas, a WFP é a maior agência humanitária de combate à fome no mundo.


O Instituto Alana será responsável pela curadoria do projeto e pelo acompanhamento do repasse dos recursos às organizações beneficiadas. A sul-africana Seeds of Light e a brasileira CREN – Centro de Recuperação e Educação Nutricional são as primeiras a receber as doações. As demais serão selecionadas a partir do crivo do próprio instituto – Gisela Solymos, diretora do CREN e mundialmente reconhecida por contribuir com o combate à fome no Brasil, integra esse comitê de avaliação. De acordo com dados da ONU, uma entre oito pessoas passa fome diariamente, o que equivale a mais de 800 milhões de indivíduos.


Sobre o Instituto Alana

O Instituto Alana é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, que trabalha em várias frentes para encontrar caminhos transformadores que honrem as crianças, garantindo seu desenvolvimento pleno em um ambiente de bem-estar. Com projetos inovadores, que vão desde a ação direta na educação infantil e o investimento na formação de educadores até a promoção de debates para a conscientização da sociedade, o Instituto Alana tem o futuro das crianças como prioridade absoluta. Informações: Alana.

Informações para a imprensa:

2PRÓ Comunicação – alana@2pro.com.br
Myrian Vallone – myrian.vallone@2pro.com.br
Roseanne Café – roseanne.cafe@2pro.com.br
Marcela Lage – marcela.lage@2pro.com.br

Milka Veríssimo – milka.verissimo@2pro.com.br

Tels. (11) 3030-9461 / 9404 / 9464 / 9435 / 9460
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário