quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Quem vende mais de 50 refeições por dia pode ser obrigado a contratar nutricionista

Parecer sobre o projeto de lei que obriga a contratação de nutricionista está pronto para análise na Comissão de Desenvolvimento Econômico; sindicalista afirma que não há profissionais suficientes para os mais de um milhão de bares e restaurantes brasileiros


Divulgação: Agência Brasil
Estabelecimentos que vendem comidas podem ser obrigados a ter nutricionistas em seus quadros de funcionários, para atuar nas atividades de planejamento, supervisão e coordenação da produção de alimentos. É o que propõe projeto do deputado Assis Melo, do PCdoB gaúcho, em tramitação na Câmara dos Deputados (PL 4300/12).

A proposta torna obrigatória a contratação do profissional por estabelecimentos que forneçam mais de 50 refeições por dia. A obrigatoriedade vale para estabelecimentos comerciais e não comerciais.

De acordo com a nutricionista Cristina Berbert, a medida vai melhorar os serviços nesses locais, oferecendo uma comida mais balanceada.

"Tendo um profissional qualificado para isso, ele vai ser responsável pela elaboração do cardápio, então, tudo que vai chegar à mesa do consumidor, vai chegar com mais qualidade, respeitando as quantidades nutricionais de cada alimento, necessidades nutricionais de quem vai consumir."

Já Cleiton Machado, presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, disse que, se aprovada, a lei não será cumprida porque não há nutricionista para os mais de um milhão de bares e restaurantes no Brasil.

"Além de não ter o número de profissionais, a empresa pequena, de pequeno porte, não tem estrutura financeira de pagar esse profissional. De forma nenhuma. É querer fechar a empresa porque 95% do nosso setor é formado de pequena e microempresa. Então, sabemos que esse pessoal não tem a condição de pagar mais um profissional no volume salarial da remuneração, porque é um profissional desse setor. É o marido, é a mulher, é um parente, eles mesmos que servem, eles mesmo que recolhem, que lavam, então tudo está focado numa estrutura familiar. E quando não é familiar, é muito reduzido, é muito pequena. É restaurante de cinco funcionários."

De acordo com o deputado Assis Melo, o brasileiro vem experimentando mudanças de hábitos com prejuízos à qualidade da alimentação tanto em casa quanto na rua. O texto aguarda votação de parecer da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário